Campanha #ProtejaMais alerta para abuso contra crianças e adolescentes
Projeto do CPIMW e CEFORTE Petrópolis recebeu convidados na Central de Petrópolis durante uma semana para debater questão do abuso sexual na infância
Redação CPIMW
04 de Junho de 2021

(Foto: Reprodução/YouTube)

Na semana de 18 a 24 de maio, o CPIMW e o CEFORTE polo Petrópolis, com o apoio da IMW Central de Petrópolis, promoveu a campanha de prevenção à exploração e ao abuso sexual de crianças e adolescentes #ProtejaMais, referente ao Maio Laranja.

O Maio laranja foi instituído em 18 de maio de 2020, baseado na lei Federal 9.970 de 2000, que formalizou a data como o Dia Nacional de Combate à Exploração e Abuso Sexual da Criança e do Adolescente em alusão ao caso Araceli. 

Segundo o IBGE, o Brasil é o segundo país no ranking de mais casos de abuso sexual do mundo, e daí a relevância de como igreja se posicionar contra esse mal. Trata-se de um assunto de tamanha complexidade, e o uso das redes sociais para promover a informação e conscientização evidencia o papel formador da igreja.

A campanha se deu em diversos formatos: ao meio-dia, Fernandinho Araújo apresentou o esquadrão da proteção; às 15h esteve no ar a programação infantil Wkids, produzida pela IMW Teixeira de Freitas, e à noite, às 20h foram debate-papo ao vivo apresentados por Fernandinho juntamente com a equipe de coordenação formada por missionária Lindinalva Rosa, diaconisa Joice Roberta Silva e Ana Paula Bento.

O sucesso na campanha se deu pela sua relevância, a programação no dia 18 com o pedagogo e assistente social Wiltom Marques, que atua como gerente de recursos Sociais do Refúgio de Meninas e Meninos de Rua na cidade do Rio de Janeiro. No debate-papo, ele abordou a questão do castigo físico como causa do distanciamento entre pais e filhos, reforçando que o diálogo é sempre a melhor forma de correção e prevenção ao abuso sexual. 

No dia seguinte, Fernandinho conversou com diversas lideranças, dentre elas o secretário geral de Educação Cristã, Pr. Ronaldo Cabrera, e à noite foi a vez da psicóloga Ingrid Morgado falar sobre as consequências psicológicas pós-abuso. 

Já no dia 20, a conselheira tutelar de Petrópolis Suany Pitorra frisou a importância da denúncia aos órgãos competentes toda vez que identificarmos um possível risco de violação do direito da criança e do adolescente. Ela informou que a denúncia é fundamental para a atuação do conselho tutelar, que por meio de uma equipe capacitada, verifica se a denúncia é fundamentada ou não.

Na sexta, Caroline Vargas apresentou o manual de proteção publicado pelo CPIMW; à noite, o debate-papo foi com Magda Silva, diretora da unidade de acolhimento REME de Minas Gerais. Ela explicou o funcionamento da casa de acolhida e relatou a trajetória da criança uma vez que essa tenha sido retirada do convívio familiar.

Sábado, a convidada foi com a missionária Ianá Barbosa, que pontuou o papel do líder religioso e da família na prevenção do abuso. A missionária direcionou sua palavra à liderança cristã infantil e apresentou práticas de plano de culto com a aplicação de uma abordagem dinâmica e lúdica para o mistério kids das igrejas locais. No domingo, Márcia Olandim, líder nacional de capelania escolar, conversou sobre a prevenção nas escolas e sobre as formas de abordagem do tema dentro da unidade escolar. 

A campanha virtual terminou na segunda-feira no esquadrão da proteção com a presença da missionária Ianá Barbosa, da missionária Raíssa Aguiar e da pastora da Igreja Batista da Lagoinha, Virgínia Prado. Embora encerrada a campanha, as ações não foram esgotadas. A igreja seguiu na causa, orando, conscientizando, agindo, lutando a favor das crianças e adolescentes.  

No Brasil, de 1º janeiro a 12 de maio de 2021, mais de 6 mil denúncias de abuso foram feitas para o DISQUE100, segundo a ONDH. Estima-se que em todo país, a cada 6 horas, uma criança é abusada, e concernente a isso, a campanha reforça o posicionamento da Igreja Metodista Wesleyana quanto ao tema e convida toda a liderança wesleyana a se juntar a esta causa.

 

WTV

Dúvidas, sugestões e reclamações, entre em contato pelo e-mail redacao@cpimw.com.br.
O Voz Wesleyana é o órgão oficial da Igreja Metodista Wesleyana.
Sede da redação: Rua Venância, 17, Xerém, Duque de Caxias, RJ.
© Todos os direitos reservados. 2020