Horta em casa: alimentação mais saudável no isolamento social   
Família conta que começou a plantar depois da pandemia do novo coronavírus  
Redação CPIMW
24 de Agosto de 2020

(Foto: Irislayne Tavares/ Voz Wesleyana) 

Muita besteira faz parte da alimentação da população mundial, e o Brasil não fica de fora. Mas de acordo com uma pesquisa realizada em 2018 pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, a maioria dos brasileiros se esforça para manter uma alimentação saudável, buscando consumir produtos mais frescos e nutricialmente ricos.   

Em 2019, o Ministério do Meio Ambiente apontou que o Brasil é o maior consumidor de produtos agrotóxicos no mundo. O país perde para Japão, União Europeia e Estados Unidos, porém, quando são levadas em conta duas variações: a quantidade de alimento produzida e a área plantada.  

Isso tem levado muitas famílias a arriscarem o culto próprio, principalmente em tempos de pandemia. Atualmente, as hortas caseiras se tornaram cada vez mais comuns nas grandes cidades. Elas são uma ótima opção para quem está em busca de uma alimentação feita de alimentos frescos, cheios de nutrientes e livres de agrotóxicos.    

De acordo com o portal Área da Mulher, ter uma horta em casa é bom em vários sentidos. Primeiro porque é uma ótima forma de incluir vegetais na alimentação diária. Além do fato de que cultivando os seus próprios vegetais, você tem a garantia de estar consumindo alimentos totalmente livres de compostos químicos que fazem mal à saúde. Ou seja, é um ótimo incentivo para se ter hábitos mais saudáveis.   

Elizangela Vieira Batemarqui, matriarca da família Batemarqui, confirma isso “A alimentação da minha família mudou bastante, pois agora estamos comendo verduras sem agrotóxico, o que aumenta automaticamente a saúde de cada um. Você se sente ainda melhor sabendo que o que você está comendo foi plantado e colhido por você, dá uma sensação de bem estar consigo mesmo. Além disso, os produtos naturais tem um sabor diferente dos artificiais, e isso faz você querer comer mais ainda.”   

Para quem tem crianças em casa, cultivar qualquer planta que seja é uma ótima forma de ensinar diversos valores para os pequenos. E mais do que isso, cuidar e manter uma horta também pode ser uma atividade para ser desenvolvida em família, fortalecendo os laços e o companheirismo entre pais e filhos, por exemplo.   
(Foto: Irislayne Tavares/ Voz Wesleyana) 

Elizangela disse que sempre admirou todas as pessoas que possuíam horta em casa, mas por falta de tempo não pôde começar a dela antes. “Com a chegada da pandemia, novas rotinas foram tomadas, e o tempo foi meu aliado para decidir colocar em prática essa minha vontade de ter uma horta, e assim fiz e estou fazendo. Aos poucos estou plantando novas coisas, até que fique tudo do jeitinho que eu quero”, contou Elizangela.  

O nutricionista Jodney Lima contou que ter uma horta em casa é uma ótima forma de aproveitar o tempo livre para garantir saúde e outros benefícios do dia. “As hortas podem ser cultivadas em qualquer casa ou apartamento. Basta ter um pouco de criatividade e dedicação ao projeto.”  

Para o nutricionista, o melhor jeito de controlar a qualidade da sua alimentação é “plantando você mesmo”. “Ter uma horta em casa reduz o uso de agrotóxicos, o que contribui com a alimentação saudável, e é economia para o bolso, já que você tem a verdura e os temperos no quintal, além de não poluir o solo e os rios”, explicou Jodney.  

De acordo com o especialista, os melhores alimentos para serem cultivados são: orégano, manjericão, salsinha, cebolinha, alecrim, hortelã, coentro, abobrinha, cenoura, beterraba, alface (de todos os tipos), rúcula e alho poró. As melhores frutas a serem plantadas em casa são: morango, amora, framboesa e todas as frutas vermelhas, jabuticaba, pitanga e tomate.  

Ele explica que com a correria diária, acabamos comprando alimentos que estão no mercado há muitos dias e que os efeitos de uma má alimentação podem ser devastadores na saúde de uma pessoa.  

“Com a sua horta você tem alimentos e temperos disponíveis a qualquer hora. Sempre frescos para o consumo e livre de todo agrotóxico”, concluiu o nutricionista. 

(Foto: Gabi Batemarqui)

Dúvidas, sugestões e reclamações, entre em contato pelo e-mail redacao@cpimw.com.br.
O Voz Wesleyana é o órgão oficial da Igreja Metodista Wesleyana.
Sede da redação: Rua Venância, 17, Xerém, Duque de Caxias, RJ.
© Todos os direitos reservados. 2020