Coronavírus: o que você precisa saber
O país entrou em alerta após primeiro caso confirmado
Redação CPIMW
02 de Março de 2020

Após um início de ano de muita tensão, o Brasil se viu no final de fevereiro às voltas com a confirmação do primeiro caso do novo coronavírus, e ao contrário do que a maioria da população temia, o paciente não esteve na China, e sim na Itália. O país europeu é, até o fechamento desta edição, o lugar fora da Ásia com o maior registro de casos: já são mais de 400 pessoas infectadas e 12 mortos.

O brasileiro é um homem que mora em São Paulo, tem 61 anos, e esteve na Itália entre 9 e 21 de fevereiro. Os dois testes realizados deram positivo para coronavírus, sendo o primeiro caso da doença em toda a América Latina. Ele está em quarentena domiciliar, e a família do paciente também está em observação.

Bastou esta notícia para um sentimento de medo invadir a população, porém a Organização Mundial da Saúde (OMS) está trabalhando com especialistas para expandir o conhecimento médico sobre o novo coronavírus. Dados sobre a transmissão, recuperações e óbitos são importantes para conhecer melhor a doença e a proporção da epidemia.

Confira abaixo as principais recomendações da OMS:

- Higienize as mãos: Lave suas mãos frequentemente com água e sabão ou com uma solução de álcool em gel. Esfregar as mãos ajuda a eliminar traços do vírus que podem estar presentes em lugares de uso comum.
 
- Mantenha distância social: Fique a pelo menos um metro de distância de pessoas que apresentam tosse ou espirros constantes. A tosse e o espirro propagam pequenas gotas de secreção e saliva que podem conter vírus. Com a proximidade, a chance de respirar ou ter contato essas gotículas aumenta.
 
- Evite tocar os olhos, o nariz e a boca: Evite coçar, esfregar ou ter qualquer tipo de contato com as mucosas. Essas áreas têm contato direto com a corrente sanguínea e são mais sensíveis à presença de agentes de contaminação. As mãos estão em contato constante com superfícies que podem ser vetores de transmissão de vírus e bactérias. Mantê-las longe das mucosas diminui a chance de ficar doente.
 
- Pratique higiene respiratória: Isso significa cobrir a boca e o nariz com o braço curvado ou com um lenço de tecido ou papel ao tossir e espirrar. Descarte ou higienize o material usado imediatamente. Gotículas de saliva e secreção são vetores do Covid-19. Evitar que outras pessoas entrem em contato com saliva contaminada evita não apenas o coronavírus, mas uma série de doenças respiratórias.


Coronavírus no mundo

- Mais de 78.500 pessoas estão infectadas na China continental, e já são 2.744 óbitos (até o fechamento desta edição);

- Na Europa, o país mais afetado é a Itália (mais de 400 casos e 12 mortos), o que afetou países como Áustria, Suíça, Croácia, Grécia, Argélia ou Macedônia do Norte;

- Já o Irã registra 19 mortes, num total de 139 casos, incluindo o vice-ministro da Saúde do país. Surgiram casos no Paquistão e na Geórgia;

- Na França, uma segunda pessoa faleceu em decorrência do vírus. A primeira vítima fatal no país foi um turista chinês.

- O paciente de São Paulo é, até o momento, o primeiro e único caso confirmado do novo coronavírus na América Latina. No Brasil, porém, há outros 20 casos suspeitos sendo monitorados.

Em caso de febre ou dificuldade respiratória, busque ajuda médica rapidamente. Não saia de casa se estiver com febre. Se os sintomas persistirem e caso haja dificuldade respiratória, busque atenção especializada imediatamente. Apesar de serem sintomas comuns, uma ação rápida pode evitar problemas mais sérios e o desenvolvimento de sintomas mais graves de infecções respiratórias.
 
Fique bem informado e siga os procedimentos do Ministério da Saúde. Autoridades nacionais e locais têm a informação mais atualizada sobre a situação de saúde na sua área. Tomar atitudes preventivamente ajuda o sistema de saúde a distribuir e compreender de maneira ágil a disseminação de qualquer doença.

(Fonte: Agência Brasil e Estado de Minas)

 

Dúvidas, sugestões e reclamações, entre em contato pelo e-mail redacao@cpimw.com.br.
O Voz Wesleyana é o órgão oficial da Igreja Metodista Wesleyana.
Sede da redação: Rua Venância, 17, Xerém, Duque de Caxias, RJ.
© Todos os direitos reservados. 2020