Após golpe, cristãos temem situação política no Mianmar
Acesso às redes sociais também foi interrompido sob a justificativa de impedir a disseminação de informações falsas
Redação CPIMW
12 de Fevereiro de 2021

(Foto: Reprodução/BBC)

Os cristãos em Mianmar estão temerosos pela situação política do país desde o golpe militar ocorrido em 1º de fevereiro, que resultou na prisão da líder reeleita Aung San Suu Kyi. 

Os militares acusam o governo anterior de fraudes eleitorais e, por isso, prenderam a ativista. Como consequência do golpe, a comunicação via telefone e internet foi interrompida e os canais de TV, censurados.

“Parece que nossa esperança foi arrancada. Não consegui dormir, chorei e orei muito durante a noite. Nossos sonhos, esperanças, visão e liberdade foram tirados. Nossa vida tem sido cheia de tristeza, medo e problemas sob o regime militar”, lamenta o pastor Zay, em relato da associação Portas Abertas. 

Além disso, o acesso ao Facebook também foi interrompido sob a justificativa de impedir a disseminação de informações falsas e, por consequência, a mobilização de pessoas contra o novo governo. Durante a pandemia, muitas igrejas estavam fazendo os cultos por meio dessa rede social e agora estão impedidas de realizar as reuniões.

Os militares usaram pressão e violência contra os cristãos em Mianmar na época em que estiveram no poder, e o temor dos fiéis é que a perseguição contra eles aumente novamente.

(Fonte: Portas Abertas)

 

Dúvidas, sugestões e reclamações, entre em contato pelo e-mail redacao@cpimw.com.br.
O Voz Wesleyana é o órgão oficial da Igreja Metodista Wesleyana.
Sede da redação: Rua Venância, 17, Xerém, Duque de Caxias, RJ.
© Todos os direitos reservados. 2020