A igreja e o uso de piercing
O uso de piercing tem se tornado cada vez mais popular entre os jovens
Colégio Episcopal da Igreja Metodista Wesleyana
03 de Abril de 2020

O uso do piercing vem sendo praticado por mais de 5000 anos e sempre foi usado como um ritual espiritual e mais recentemente como moda. Seu uso como ritual religioso começou nas primeiras tribos e clãs das mais antigas raças humanas. Nas tribos da América do sul, África, Indonésia, nas castas religiosas da Índia, pelos faraós do Egito e pelos soldados de Roma. Depois se espalhou pela classe média e aristocracia do século 18 e 19.  E hoje o uso de piercing tem se tornado cada vez mais popular entre os jovens de diversos países e em todas as camadas socioeconômicas.

Deus aprovaria algo que chega a mutilar o templo do Espírito Santo? Veja o alerta que a Bíblia faz em Cor 3.16-17. Você já percebeu que os locais mais perfurados são aqueles relacionados à salvação? Você sabia que, os adornos, ou piercing constitui uma tranca que aprisiona a alma? (Ez 13.18-21). Você sabia que o piercing é um sinal visível de escravidão espiritual? 

O Piercing do nariz se originou no oriente médio há 4000 anos, se espalhou para Índia no século 16 quando foi rapidamente adotado pelas castas nobres. Cada tipo de joias distinguia a casta e a posição social.  

1. Nariz – Há duas questões a serem analisadas: (1) questão saúde: Infecção causada pela perfuração, com instrumentos não esterilizado pode gerar complicações seríssimas, com progressão da infecção para dentro da face. Se a infecção atingir o sei cavernoso, pode danificar o sistema nervoso central e provocar até a morte. (2) questão espiritual: A Bíblia diz que quando Deus fez o homem do pó da terra soprou nas narinas o fôlego de vida. (Gn. 2.7). Todas as partes do seu organismo se puseram em ação. O coração, as artérias, as veias, a língua, as mãos, os pés, os sentidos, as faculdades da mente, tudo se pôs a funcionar, ao receber o fôlego de vida. O Piercing colocado no nariz significa DOMÍNIO e seu sentido no mundo espiritual é uma distorção do caráter. Os presentes dados a Rebeca significavam que ela tinha sido escolhida, em especial, a argola no nariz foi usada como símbolo de posse, de domínio. Era como se o servo de Abraão dissesse a todos daquela região “homens, tirem seus olhos desta moça porque a partir de agora, ela pertence a alguém. Hoje esse símbolo é o anel de compromisso. Gênesis 24.22, 30 e 47.
 
Piercing nos lábios. A boca e os lábios são partes sensuais do corpo e poderosos como afrodisíacos, então era natural que as castas mais altas dos Astecas e Maias adornassem seus lábios com labutes de puro ouro. Na África, as mulheres da tribo Makolo usam adornos chamados "Pelele" nos seus lábios superiores para atrair homens de suas tribos. Hoje em dia o piercing labial mais comum é colocado nos lábios inferiores. Tornou-se popular também o piercing no lábio superior imitando uma pinta, no canto dos lábios, chamados de "Madonna".

2. Boca – instrumento de confissão. “Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo”. (Ro 10.8-9) A boca: é a parte de entrada e saída que liga nosso corpo ao mundo exterior. É responsável por nossas experiências relacionais. Graças a nossa boca, podemos também nos exprimir, dizer o que pensamos e sentimos.

3. O piercing da sobrancelha é geralmente visto como normal na maioria das principais subculturas alternativas. Sobrancelhas é a região dos olhos e da mente, portanto, devem refletir a mente de Cristo, entendimento espiritual. “Nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incréldulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus”. 2 Co 4.4

4. Piercing na orelha. Marinheiros colocavam piercing na orelha acreditando que estes davam melhor audição. Romanos associavam o piercing na orelha a riqueza e a luxúria. Tribos Sul-Americanas e Africanas faziam piercings e alargavam o furo... Quanto maior o furo, maior o status social. Nos tempos bíblicos quando um escravo se apegava ao seu senhor ele poderia optar por voluntariamente se entregar como escravo daquele senhor até o final de sua vida, sem volta para a liberdade. Como um sinal da entrega, esse escravo furava a orelha."Então, o seu senhor o levará aos juízes, e o fará chegar à porta ou à ombreira, e o seu senhor lhe furará a orelha com uma sovela; e ele o servirá para sempre", Êxodo 21:6. Escravos de orelha furada simbolizavam uma união de serviço e amor. Porém no mundo sobrenatural simboliza escravidão espiritual. Somente Jesus, como Senhor porque Ele pagou nossas dívidas, nos tornando livres do opressor pode libertar a alma desta prisão e colocá-la em liberdade.  
 
5. Piercing no umbigo. As primeiras aparições do piercing no umbigo vêm do Antigo Egito aonde apenas os faraós e as famílias reais eram permitidos a fazer esses piercings. Os faraós egípcios usavam piercings no umbigo apenas durante uma cerimônia. A população em geral era proibida tal uso. O problema é que, além de ser um ato agressivo para o nosso corpo, ele tem significados espirituais. Ainda que hoje o piercing está sendo usado como acessório fashion, parte da moda atual, contudo, sua origem não é tão simples. Serve como um local de canalização de espíritos satânicos no corpo de quem os usa. Não esqueçam o umbigo representa o ventre, a sede da vida. (João 7.38-39)

6. Língua (órgão da fala) - Comunicação

Piercing na língua é colocado para aumentar o prazer sexual. Detentores de piercing na língua afirmam que depois de fazeres este piercing o seu parceiro tem mais excitação. “Fruto do exibicionismo, da loucura ou da simples vontade de se ornamentar, os anéis corporais foram trazidos da cultura pagã e do universo sadomasoquista, por jovens que viram nele uma nova forma de exaltar o corpo e as suas zonas erógenas.

7. Mamilo (virilidade)

Piercing nos mamilos era considerado símbolo de força e virilidade. Nativos da     América Central fazia piercing nos mamilos como marca de transição da masculinidade. Em 1890 foi uma "coqueluche" de mulheres Vitorianas que faziam piercing em seus mamilos com joias vendidas por famosos joalheiros de Paris. Algumas faziam piercings nos dois mamilos e uniam os dois com uma corrente de prata.

Conclusão:

Aquele que ama ao Senhor e teme a Deus não tem prazer nesse estilo de conduta. Mesmo que você ache que tais práticas não são pecados, eu quero fazer algumas considerações:

1. Primeiro: O cristão tem como maior desejo agradar a Deus e viver uma vida modesta e santa. “E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Ts 5.23)
2. Segundo: O cristão entende que o Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo não é hóspede da cultura secularizada, ele está sempre na contramão deste sistema pervertido que domina a nossa sociedade. (Rm 12.1-2)
3. Terceiro: Ele sabe que todas as coisas lhe são lícitos, mas nem tudo lhe convém. Mesmo não sendo pecado, deve usar o bom senso em cada situação.
4. Quarto: O crente fiel não segue a moda do momento, ele procura agradar ao seu Senhor. “Quer comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus”. (1 Co 10.31)
5. Quinto: O servo ou serva de Deus é chamado para provar as coisas excelentes. “Para que aproveis as coisas excelentes, para sejais sinceros e sem escândo algum até ao dia de Cristo”. 

Bispo José Damião


 

Dúvidas, sugestões e reclamações, entre em contato pelo e-mail redacao@cpimw.com.br.
O Voz Wesleyana é o órgão oficial da Igreja Metodista Wesleyana.
Sede da redação: Rua Venância, 17, Xerém, Duque de Caxias, RJ.
Secretário Geral de Educação Cristã Rev. Agnaldo Valadares - Redator Rev. Renato Neves
© Todos os direitos reservados. 2022